sábado, 3 de janeiro de 2009

Éramos amigos...

Éramos amigos, nos conhecíamos há alguns anos, muita conversa jogada fora, algumas afinidades, mas sempre conversas, nenhum pensamento mais ousado, até porque ela era casada, eu comprometido, ela com quatro filhos e um casamento. Mas acho que acima de tudo eu não pensava nela não pelo fato de ser casada e ter quatro filhos, mas pelo fato de ser linda, uma loira com 1,70m, olhos azuis e um corpo trabalhado, diante dos seus trinta e poucos anos, quatro a mais que eu, não imaginaria que ela fosse me olhar além da amizade. Não por não ser “lindo, loiro e forte...” (Mamonas Assassinas), sou bonito, tenho charme, mas não me via envolvido com aquela linda mulher. Certo dia me ligou, eu estava viajando e chegaria à cidade a noite, me pediu para ligar quando chegasse. Marcamos em um restaurante, conversamos muito, sobre tudo, nada de mais, conversa fora, algumas taças, massas e fomos embora, ela havia ido de táxi, fui deixa-la em casa na entrada de seu prédio me agarrou. Fiquei petrificado, mas dei a volta e fomos para um motel, muitos beijos, minha nossa que boca! Estava em êxtase, me sentia completamente atordoado, que boca! Tirou minha roupa, me beijava com fúria, me apertava, colocou meu pênis em sua boca, que boca! Estava levando a melhor chupada de minha vida, que boca! Não me deixou fazer nada, ela comandava, tirou sua roupa, pulou em cima de mim, pegou no meu pau com força, apertou, colocou dentro dela, ficou sentada, começou a subir e descer, lentamente, depois rápido e mais rápido, fui cada vez mais rápido e de repente parou, apertou minhas coxas e gozou, senti escorrer pela minha perna todo o gozo. O silêncio era total, ela se deitou ao meu lado e disse que sonhava com esse momento há muito tempo, que por várias vezes trocou o nome de seu marido pelo meu, que quando me via tinha vontade de tirar minhas calças e me chupar, que boca! Que se controlara diversas vezes para não me agarrar, que minha cara de menino safado a deixava louca, louca o suficiente para estar ali comigo, afinal era casada. A virei de bruços e comecei a beijar suas costas, fui descendo, que bundinha linda, abri, beijei, ela começou a arranhar a cama, acho que nunca fora penetrada por trás por uma língua safada. Empinei o corpo dela, comecei a chupar sua bucetinha loira, só parei quando senti novamente seu gozo, ela goza em silêncio, apenas morde os lábios. A virei, penetrei aquela buceta encharcada, beijava sua boca, que boca! Não consegui gozar naquela noite, ela ficou frustrada, mas entendeu quando disse que aquilo tudo era algo inimaginável e que ainda estava entorpecido. Fomos embora, quando a deixei em casa, o marido e as crianças foram passar o fim de semana na praia, ela tinha compromisso de trabalho no sábado, por isso estava na cidade, quando a deixei ela disse para pega-la às 20:00hs, não iria me deixar sem gozar, precisava ver, sentir meu gozo. À noite fomos a um bar, bebemos uns chopes, conversarmos, mas agora o assunto era o que tínhamos feitos na noite anterior, eu estava quase gozando dentro das calças com tanto tesão, agora iríamos transar e eu estava mais calmo, seria muito melhor. Bem, gozei dentro dela, muito, muito, muito!

9 comentários:

Gleisse Costa disse...

Ufa!!!

Que bela história, de tirar o fôlego!!!

Parabéns, é sempre bom viver momentos assim.

Momentos...volupté! disse...

Gleisse, este espaço também é para aqueles que gostariam de contar suas aventuras e desventuras...fique a vontade!!!

' Rôh disse...

Nossa! Que legal.
Obg por ter estado lá no 'status'
Os seus posts certamente também são muito, muito bons!! xD.


Abraço.

Mariana disse...

obrigada pelo comentário!
vou dar uma lida no seu blog...

bjos!

Momentos...volupté! disse...

Tô aproveitando bem minhas férias, descobrindo blogs e escrevendo aqui...

Madame Poison disse...

"Moreno alto, bonito e sensual...talvez eu seja a solução dos seus problemas..."

Momentos...volupté! disse...

Essa é dos anos 80...Hahahaha

Madame Poison disse...

Ora...

EU SOU NEGUINHA disse...

Hum,insasnidades,deliciosas insanidades..
Beijos insanos