quarta-feira, 28 de julho de 2010

Momentos despretensiosos... (final)

...ficamos nos agarrando ali mesmo, no convés, ela se abaixou e abriu o meu zíper, abaixou minha calça, mordeu meu pau através de minha cueca, pegou, colocou pra fora e começou a me chupar. Fazia com força, tesão, puxei-a pelos cabelos e a beijei, abri sua blusa, peguei em seu seio com força, ela quase arranca minha língua. Beijávamos-nos loucamente. Não resisti, abri a porta da minha cabine, joguei-a na minha cama, puxei sua calça, rasguei sua calcinha, meu amigo acordou, estava na cama de cima, disse que se quisesse podia ficar e assistir comer com força aquela mulher gostosa e tesuda. Estava com tesão a mil, afinal fazia alguns dias que viajava e nada de sexo, sem falar que ela era uma mulher bonita, gostosa e aqueles olhos verdes com tesão eram uma loucura. Tirei minha roupa e fui entrando nela, com força e com meu pau tão duro que ela gritou. Sua buceta era apertadinha, embora estivesse ensopada, meu pau se sentia pressionado, quanto tesão ele estava duro e grosso! Metia e beijava com força, ela gemia, mordia meus lábios. Meu amigo ali, só debruçado no beliche observando e babando! A virei de bruços meti em sua buceta por trás, mordia seu cangote e ela pedia para botar em bundinha. Adoro essas mulheres do Norte, a maioria é rabeira, adora ser fodida no rabo e eu amo meter em um rabinho gostoso e fogoso. Tirei de sua buceta, desci até sua bundinha, ela empinou na hora, mordi! Abri e vi aquele rabinho bem safado piscando, passei a língua e ela gemeu pedindo pra enfiar meu pau. Queria sentir a rola grossa e dura entrando em seu rabo. Empinei-a mais, coloquei a cabeça na entrada e pincelei. Aquele rabinho já fora muito comido com certeza, se abriu e recebeu meu pau de uma única vez, uma enfiada só e entrou fácil, ela apenas deu uma travadinha e mordeu o travesseiro por alguns segundos, empinou mais e mandou meter! Que putinha essa rabeira, meti e meti, com força e rápido e ela gozou gritando, meu amigo caiu do beliche e o pessoal da cabine ao lado bateu na divisória mandando agente parar com o barulho!!! Foi muito engraçado, tão engraçado que chorei de rir! Depois de me recompor, ela estava lá deitada, completamente paralisada, seu corpo arrepiado, imóvel, latejando, nem parecia que meu amigo havia caído. Estava acabada! Ali com ela naquele estado de paralisia a virei, meu amigo foi pro banheiro se masturbar. Coloquei-a de lado e meti novamente em seu rabinho, ela parecia que estava sem reação, queria dormir, eu ali, querendo gozar e comecei a entrar e sair de seu rabinho. Fiquei nesse movimento por longos e longos minutos, ela ainda inerte, apenas apertava a minha bunda com a mão enquanto a fodia bem devagar, acho que fiquei nesse movimento por quase 1 hora e me veio aquela vontade de gozar, mandei que ela empinasse, pois iria encher seu cuzinho de porra, ela quase inerte, me obedeceu, empinou, meti com mais força e rápido e com isso gozei feito louco, parecia que estava urinado em seu rabo de tanta porra que saia, ela empinou mais e disse que tava gostoso sentir o quentinho dentro dela. Quando parei, ela se virou, me beijou e me abraçou. Dormimos abraçados, no outro dia éramos verdadeiros namorados e todos no barco nos olhando. Chegamos à cidade dela, fiquei dois dias, dois dias de muito sexo e tesão. Ela ainda veio algumas vezes na minha cidade a trabalho e com isso relembramos varias e varias vezes aquele nosso encontro maravilhoso.

9 comentários:

Deliciosamente Atrevida disse...

Sempre com uma historia gostosa pra gente né... Saudades de vc, dos seus escritos por aqui!

Beijo Gde!

Única e Exclusiva disse...

Momentos intensos devem ser aproveitados com muita lasciva! ^^

Tava com (muita) saudade!

Bjos ú&e =***

Perséfone disse...

gosto do mar. de terra tb.
e do seu texto.
bom sabe-lo nos seguindo.
muito, muito bom.
beijinhos de ressaca (das maritimas)

EU SOU NEGUINHA disse...

Nossa...
Quanto tempo...
Beijos em ti

menina fê disse...

uma senhora trepada! rsrs

bjs pra ti.
menina fê*

Momentos...volupté! disse...

Amigos,

Sei que ando muito distante, mas a vida atribulada, família e novos horizontes, não me permitem estar aqui, mas tenham certeza sempre penso em vocês e neste mundo tão especial da blogesfera.

Beijos

P.A. disse...

fala serioooo

um homem narrando assim, perdi ate a fala

q delicia

João Lenjob disse...

Interessantíssimo!! Aguardo sua visita em meu blog.

João Lenjob.

Branca disse...

Arrepiei...

Vc tá sumido!
Boa semana!