segunda-feira, 20 de julho de 2009

Safadinha...


Vi aquela garota quando era uma criança, eu era adolescente e ela era vizinha da minha avó. Os anos se passaram e certo dia fui à casa da minha avó pegar uma encomenda para enviar por um portador para a casa da praia. Quando entro na casa surge no portão àquela garotinha, agora com 14 anos, seriam 10 anos de diferença entre nossas idades. Estava em uma saia curta, com a calcinha quase de fora, um top mostrando seios pequenos, mas bicos bem volumosos para uma menina tão nova, mal fizera os 14. Olhou pra mim e perguntou pela minha avó, olhei espantado pra ela e disse que estava enorme, uma verdadeira moça. Ela me respondeu sorrindo que já era mais do que moça, era uma mulher que já “menstruava e trepava”. Fiquei sem jeito, ela sorriu e deu a volta, rebolou uma bunda pequena e morena e foi embora. Confesso que fiquei excitado e pensativo sobre aquela situação, mas tinha conhecido ela quando era uma criança, conhecia a mãe e o pai, mas aquela safadinha não me saia da cabeça! Voltei dois dias depois na casa, confesso que com segundas intenções e fiz questão de fazer barulho para chamar atenção na rua. Entrei e deixei a porta aberta, casa de muro baixo, todos na rua vêem o movimento. Ela entrou, eu estava sentado na poltrona com a cara de safado, com o pau duro de tanto pensar safadeza e a cueca melada. Ela me olhou e perguntou por que eu estava com aquela cara sorridente, mandei que fechasse a porta, o que fez sem questionar, me levantei e abaixei minha bermuda e cueca, deixando meu pau à mostra, sentei novamente, ela apenas olhando. Mandei que se ajoelhasse e me chupasse, coisa que fez imediatamente, mas assim que colocou a boca no pau perguntou por que ele estava tão melado. Peguei-a pelo cabelo e a fiz chupar, quando estava quase gozando retirei o pau de sua boca e tirei sua roupa inteira, o corpo já era bem desenvolvido, mas não tinha bunda, bucetinha ainda lisa naturalmente, corpinho todo duro, pela macia. Tinha medo de que fosse virgem, por isso a peguei pela cintura e levei sua buceta até meu rosto, apoiei suas pernas nos meus ombros, debrucei-a sobre minhas pernas e fui olhar para sua bucetinha lisa. Realmente aquela bucetinha já tinha levado rola, embora ainda apertadinha, já não era mais virgem. Perguntei quem tinha tirado aquele cabaço e ela disse que fazia dois meses e tinha sido seu namorado de 16 anos. Perguntei o porquê ela estava traindo o namorado e me disse que não estava traindo, que o amava, mas queria saber como é fuder com outros homens e enquanto fosse apenas namorada ira fuder sempre que tivesse vontade. Perguntei então com quantos ela já tinha fudido e disse que comigo era o décimo. Pensei na bela Carrera de puta que essa garota tinha pela frente e no belo par de galhas de alces montanheses, pois chifre era pouco pro namorado dela. Perdi o tesão de fuder, mas a fiz me chupar novamente até encher sua boca de porra. Nunca mais quis saber de me envolver, embora diversas vezes tenha me procurado, mas estava começando um namoro e como sempre gostei de mulheres mais velhas eu não quis saber. Foi um bom aperitivo naquele dia. Hoje ela está casada com o corno do namorado e continua fundendo com toda a rola dura que aparece, pelo menos foi o que ela me contou dia desses quando a encontrei no shopping. Tem coisas na vida que nunca mudam.

12 comentários:

Loira e Morena disse...

Bota mulher safada nisso en. Tadinho do marido!..rs

Beijaoooo da Morena!

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Delicioso texto, como sempre!

Fico pensando no que te fez desistir. Provavelmente o mesmo que faz a grande maioria pegar uma pá e enterrar o prazer antes mesmo que ele morra: a moral judaico-cristã que enche as mentes de "culpa".

Mas, meu amigo querido, não existe culpa e nem pecado. E é uma pena desistir do prazer, deixar de vivê-lo quando fará o bem de todas as partes envolvidas.

Acredito que só a vivência intensa do prazer pode nos fazer pessoas melhores.

Doces besos, querido!

Feliz "Dia do Amigo"!!!

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Pensando bem, agora entendi tudo. Vc foi perfeito, meu amigo.

Como eu não percebi antes que vc a colocou a teus pés e a teus serviços?
Agora vejo claro como água.

Mas VC heim?????
Me diga: Gostou de fazer isso?

Besos de mel, querido!


*;-) Vc escreve gostoso demais!

Única e Exclusiva disse...

Eita fogo na periquita. Mas, uma porra louca na vida. Eita lele.

Vc e suas histórias lascivas, quentes, envolventes, sempre reais.

Fã?! DDDDeeeemmaaiisss.

Bjos ú&e =D
PS.: Pronto falei, rs...!!

Madame Poison disse...

Pelo menos a garota era sincera...rs!

Layara disse...

Olá!

É tem coisas que não mudam nunca mesmo.
O texto por exemplo continua excitante.

Um beijo Lilás!

Tamy.Roux disse...

Fico feliz que o meu texto tenha proporcionado essa pequena lembrança em ti...confesso que sou apaixonada pela cultura dos ciganos, um povo amante da música, das cores alegres e da magia...da sedução, do amor , da lua...enfim, sou fascinada por eles.

Bom, mas passei para deixar um grande abraço , um beijo e que tenha um maravilhoso restinho de semana.
Até breve amigo

Ava disse...

Momento...

Perdendo grandes e provocantes momentos por aqui...

Bom voltar e ler voce... sempre abusando da provocação...rs


Beijos!

Madame Poison disse...

Menino...esse é um dos grandes enigmas da humanidade...rsrs!

Realmente não sei o que houve, pois és um dos meus primeiros seguidores e antes aparecia o teu perfil. Faz o seguinte: "dessegue" e segue de novo, pra vê se dá jeito...rs!

Madame Poison disse...

Quem sabe...rs!

Atreyu disse...

Que coisa louca! Pois é... uns gostam do perigo né? Massa esse conto...
Pobre do oficial dela

A Lobba! disse...

É...tem gente tem que vocação pra bandida!rsrs
Sina é sina...coitado do corno do namorado dela!rsrs
Lambidas saudosas da Lobba!