sábado, 9 de maio de 2009

Das Experiências...(continuação)

(continuando...) Não entrei nessa, até porque nunca tinha experimentado, minha experiência era lança perfume, não sentia curiosidade e além de estar com pessoas estranhas. Quando deu quatro da manhã fomos sair, eu estava bem alegre com todo o álcool consumido e a garota da loja me perguntou para onde iria, disse que iria até o carro, já tinha pego minhas coisas de volta na boate, dormiria um pouco e seguiria de volta. Ela me convidou para ir dormir em sua casa, na verdade o apartamento dela e de uma das amigas que estava no grupo, aceitei, precisava dormir um pouco e fomos andando até o carro, entramos os três e segui a orientação até o subúrbio antigo. Estacionei o carro e subimos as escadarias, quarto andar, o apartamento era uma bagunça, roupas jogadas, sofá parecia uma penteadeira. O apartamento era em um antigo prédio reformado, era um vão, onde se entrava e tinha do lado esquerdo a cozinha, uma entrada para o banheiro. A sala era o vão após a cozinha e no final, junto a uma grande janela, a cama, na verdade duas camas, separadas por um criado mudo, ambas de casal. Olhei pras duas e dei uma risada perguntando como faziam quando traziam os namorados para transar, riram e disseram que se fosse muito gostoso, ambas o comiam. Nessa hora tremi em um sorriso de surpresa!!! Minha amiguinha me ofereceu uma cerveja escura, caseira alemã, claro que aceitei na hora, sua amiga foi tomar um banho, ficamos conversando, sua amiga saiu e ela foi tomar o banho, ficamos conversando. Ela também era suíça e estava em Strasbourg ganhando a vida como gerente de uma loja de roupas, lourinha, mas de olhos azuis, estava conversando comigo apenas de camisetão, sem calcinha, deu pra notar quando saiu do banheiro. Pedi para tomar uma ducha e quando estava no meio do banho a minha amiguinha entrou no banheiro e me deu de presente, enquanto me olhava, um sabonete Paco. Saí do banho enrolado na toalha, as duas amigas estavam conversando sentadas na cama tomando cerveja e vodka, peguei minha cerveja e fui para perto, elas eram lindas e meu pau começou a subir, fazendo volume na toalha, elas riram e perguntaram o que era aquilo, eu disse que era o acompanhamento da cerveja e da vodka. A amiga se levantou e pegou uma caixinha de maquiagem, abriu, tinha cocaína e me ofereceu, disse que não, ela virou o copo de vodka, ligou o som e colocou uma fita K7, quem tem mais de vinte anos sabe o que é um K7, começou a tocar The Doors (Light My Fire), que conhecia por causa dos meus pais. Colocou uma carreira e cheirou, minha amiguinha não quis e ficamos conversando enquanto a sua amiga dançava ao som daquela psicodélica música e tirou sua roupa, seios pequenos, bucetinha bem peluda, bundinha magra, estava ficando louco, imaginando mil coisas, nem conseguia me concentrar. Ai tocou uma música que nunca tinha escutado, fiquei viajando e minha amiga perguntou se tinha gostado, pois parecia que eu estava fora do meu corpo escutando aquela música. Nisso, eu estava deitado em seu colo e disse que era muito louca a música e que me deixara fora de orbita. A música era de uma banda chamada The Animals, e se chamava The House Of The Rising Sun. Pedi para que colocasse novamente e aumentasse o volume, ela foi até o som, fiquei deitado e senti sua amiga subindo em meu corpo, pegou meu pau e colocou em sua boca, ele estava completamente melado. Começou a música e minha amiga trousse a cocaína, sua amiga que estava me chupando se deitou, ela colocou o pó em um dos seios e minha amiga cheirou, virei a minha tulipa de cerveja e pedi para experimentar, ela colocou em seu outro seio e fui cheirar, cheirei fundo, lambi os seios dela, senti uma fisgada no coração, uma irritação em meu nariz, passei a mão e tinha sangrado um pouco, mas estava eufórico, aquela música, nós três nus, ela me jogou na cama e a última coisa que lembro foi meu pau entrando em sua buceta quente e molhada...acordei algumas horas depois, não lembrava de nada, apenas me vi na cama com as duas lourinhas, uma dor de cabeça, e a lembrança da musica. Levantei-me, fui até a geladeira, peguei uma cerveja, que deixara antes, pois as cervejas ficavam fora, essa coisa de cerveja gelada é de brasileiro mesmo. Abri, fui até o som, rebobinei a fita, The Doors, som baixo e sentei no sofá e fiquei observando as duas deitadas, minha cabeça estava ficando boa, mas não lembrava nada, do sexo, fiquei preocupado, pois não tinha camisinha, aquela coisa da AIDS!!! não sei!! Minha amiguinha se levantou, me olhou e sorriu, chegou perto de mim e perguntou se estava bem, disse que sim, mas que não lembrava como fora as ultimas horas, ela sorriu e disse que foi fantástico, que tenho muito gás e força. Puxei-a pelo braço e disse que precisava relembrar. A beijei, coloquei-a sentada em meu pau, beijava-a apertava seus seios, seu corpo magro era consumido pelas minhas mãos, penetrava seu rabo com meu dedo, ela gemia em minha rola, gemeu até gozar. Com ela encaixada em meu pau, me levantei e fomos para cama, coloquei-a de quatro, enfiei em seu rabinho, ela gemia, sua amiga acordou, sorriu pra mim e pegou em meu pau, guiando-o para o rabo de sua amiga, tirava e colocava, de vez enquanto chupava e colocava dentro novamente, estava enlouquecido e gozei, vi minha porra escorrendo pelo rabo de minha amiguinha e enquanto a outra limpava meu pau com sua língua. Não agüentei de tanto tesão e comecei e chupar aquela bucetinha cabeluda, queria a sentir gozando em minha boca, enquanto isso minha amiguinha deitou em minhas costas e me beijava a nuca. Foi algo muito louco, ainda mais para um cara de dezenove anos. As duas não se tocaram, não existiu troca de carinhos entre elas, sexo, apenas me comeram com muito prazer. Fui embora na madrugada da segunda-feira, passamos o domingo que nos restava bebendo e transando. Foi a primeira e única vez que experimentei cocaína, fiquei extremamente perturbado por não lembrar o que acontecera durante algumas horas, e não me interessa consumir algo que irá me fazer perder a consciência. O interessante dessa viagem é que quando voltei ao Brasil fui a um médico fazer exames e pedi para me passar o teste de AIDS, uma vez que tinha transado sem preservativos, passado um período inconsciente e tal e o médico, de um grande e renomado hospital, me perguntou se eu era gay, pois em suas palavras “buceta não transmite AIDS”. Nessa época me tornei doador de sangue, coisa que faço até hoje.

19 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Eh errei na minha aposta, =/

Mas, se divertiu muito, viveu intensamente. ^^

Preocupação com si é um grande alerta pra muitos que andam a viver intensos relacionamentos.

Boa iniciativa da doação, eu quero mas, nunca tive a iniciativa de ir ao local adequado... maybe, da seringa, desmaiar, sei la.

Bjos ú&e

íSiS disse...

Não conhecia seu blog, gostei muito de estar aqui!
fim de semana divertido
beijos doces
íSiS

Cansada de ser boazinha disse...

História doida pra um jovem de 19.... realmente, grande experiência!
Bjos!

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

Quem não experimentou certas experiências aos 19? Bom, nesta época eu já era casada há dois anos e já era uma mamãezinha responsável.. mas, também vivi coisas muito excitantes antes e depois dos 19 anos. As melhores delas depois dos 40, que considero a fase mais gostosa e energética da minha vida.
Só espero que continue sendo assim sempre.

Do conto, posso te dizer que esperei por algum ingrediente BDSM. O BDSM está tão impregnado em mim que se torna quase impossível desvinculá-lo do prazer.

De qualquer forma, querido, é delicioso te ler. Teus relatos são muito instigantes. Nunca pare.

Besos docinhos!

Momentos...volupté! disse...

- Única & Exclusiva: Pois é, nem sempre agente acerta!!! Olha, doar sangue, além de ser uma coisa fantástica, pois estamos ajudando quem precisa, renovamos nosso sangue, mantendo nosso corpo com saúde e jovem. Tente!!!

- iSiS: Bem vinda!!!

- Cansada de Ser Boazinha: Bem, aos 12 anos já era o homenziho da casa, meu pai vivia no mundo, é geólogo e passava mais de 40 dias fora de casa, então eu era o responsável por ir a banco, fazer compras juntamente com minha mãe, ser o motorista da casa, consertar as coisas quebradas, etc...aos 13 anos, já com 1,80m, tive minha primeira transa...ou seja, muita história pra contar. Com 19 anos já tinha morado sozinho por alguns meses, já tinha viajado sozinho por vários lugares...como disse muita história pra contar!!!


Beijão

Ana Amaral disse...

Para mim todas as experiências de vida são válidas,já tive algumas poucas experiências q adorei tbm,doar sangue sem dúvida é um ato de ajuda,amor ao próximo,pena q meu peso é abaixo do permitido para doar.

já ia esquecendo de dizer rs,essa transa c as meninas foi uma doce loucura rs,muito gostoso.

bjos e um lindo domingo.

Avassaladora disse...

Moço, vc é um poço de surpresas!
Interessnate seu texto, tanto pela coragem de narrar uma experiência tão louca, como pelo tesão que a gente acaba sentindo...
Afinal é altamente luxuriante!
E fico admirada pela sua coragem de contar algo tão íntimo, mas vale como uma experiNecia de que podemos experimentar de tudo, desde que saibamos o que é bom ´e que não é! O que é saudável e o que não é!


Beijos avassaladores!

Loira e Morena disse...

Mas q aventura en!

Beijaooo da Morena!

Fofa disse...

Oi Fooooofo!

Surpreendente essa aventura!
Deixa a gente com gostinho de "quero mais", sabe como é? rs

Ah! Gostou do meu sapinho? hahahaha
Os últimos dias da semana passada foram bons, por isso certas mudanças!

Se cuida!

Beijocas

EU SOU NEGUINHA disse...

Saudades de tu...

Avassaladora disse...

Talvez o amor seja assim tb... Nos deixa de porre tal qual o absinto...rsrsrs

Beijos mil para vc!

Fofa disse...

Contratado, Sr moço!

Hahahahaah

Beijocas

Branca disse...

Experiências boas ou ruins todos já tivemos, o importante é ter a sensatez de saber o que podemos levar adiante...

bjos!

Larissa. disse...

Realmente eu estava sumida. Mas agora voltei, apesar de não tão frequente, para apreciar mais das suas histórias maravilhosas! Que aventura essa sua... e com The Rising... acredito realmente que foi demais!

bjos
;**

Avassaladora disse...

Será que preciso de motivo para voltar?
Penso que não...rsrs

Basta sentir saudade...rsrsrs


Beijos

Madame Poison disse...

Uhuuuuuuuuuuuuuu
Cá estou novamente. O bom filho à casa retorna...rsrs

Pucca disse...

Ué... Cadê o dono do blog???????????????????????

:(

o casalqseama* disse...

também sou doadora...
tomara que, além de doar sangue, vc use camisinha até hoje!


sentiu o perigo, né?!
essas aventuras podem custar caro!


bjão da fê =D

Momentos...volupté! disse...

Desculpa pessoal,

Ando muito atarefado, muito trabalho!!!

Mas se conseguir um tempinho livre hoje a noite eu escrevo.

Beijos...

MOmentos...