sexta-feira, 13 de março de 2009

Dos Mircs...I

Conhecemos-nos no Mirc, programa da conversação que já fora muito utilizado para bate-papos na net. Ela morava a 120 km de minha cidade, mãe, casada com um coronel do exercito, transferido a menos de seis meses para aquela cidade. Na época utilizava meu nome como Nick, ela se interessou e abriu uma conversação, trocamos longos textos, por dias seguidos em horários definidos, trocamos telefones, marcamos horário de nos falarmos, horário em que fazia um cursinho a noite. Certo dia marcamos um encontro, no shopping de sua cidade, cheguei no horário marcado, ela estava me esperando. Cerca de 38 anos, morena baixinha, seios firmes e de tamanhos proporcionais ao seu corpo, estava de blusão de couro, calça apertada, uma bela morena estilo country. Fomos para um bar, seu marido havia sido chamado para uma reunião em Brasília e só voltaria no dia posterior, conversamos por longas horas, ela com aquele olhar brilhando, falava o tempo todo que se apaixonara pela minha voz na primeira vez que nos falamos ao telefone. Bebemos vinho e conversamos muito, estava louco pra experimentar sua buceta, ela não parecia ansiosa pelo sexo, talvez por ser casada, por estar apaixonada, pelos filhos, não sei, mas minha mente só pensava em chupar sua buceta, que pelo desenho em sua calça parecia ser suculenta. Cerca de onze da noite ela me pediu para que a levasse em casa, pois havia ido pra o shopping de taxi e deixara o carro em casa, saímos e no caminho comecei a alisar suas coxas, ela sorriu e pegou em minha mão, beijou, acariciou e apertou contra suas coxas. Parei o carro no sinal de transito e a beijei, que boca gostosa, beijava muito, desviei o trajeto e fomos para um motel, entramos no quarto, pedi para que se despisse para mim, ela ficou meio tímida, mas depois de alguns beijos e mordidas em seu pescoço fez o que pedi. Corpo pequeno, seios firmes, nem usava sutiã, tão pouco era silicone, corpo torneado, sua pele morena brilhava, suas coxas eram lindas, ficou de calcinha de renda preta, olhei para sua bucetinha, como pôde aquela bucetinha ter tido dois filhos de pato normal??? Peguei-a pela cintura e coloquei em cima da cama, comecei a beijar seu corpo, virava, beijava, comecei a tirar sua calcinha com minha boca, aos poucos, lentamente, parava, beijava mais e votava a retirar sua calcinha, que neste ponto estava completamente molhada. Tirei sua calcinha, deixa-a em pé na cama, comecei a lamber seu corpo todo, dos pés até morder seus cabelos, minhas mãos passeavam pelo seu corpo, apertando aquele corpo durinho, que jurava não ser malhado, por mais que eu perguntasse. Virei sua bundinha em direção a minha boca, abri com as mãos, comecei a cheirar com força, colocando meu nariz em seu cuzinho, estava tomando porre em seu rabo, ela ficou vermelha, disse que nunca fizera aquilo, coloquei minha língua, ela se arrepiou completamente, a deitei na cama, levantei sua pernas, deixei aquele cuzinho arreganhado em minha frente, chupei com força, penetrei com minha língua, ela gemia, escorria um caldo de prazer de sua buceta, o qual eu lambia com muito tesão e empurrava em seu cuzinho com minha língua. Abaixei sua pernas, tirei minhas roupas, cheguei ao lado dela e coloquei meu pau duro e melado em sua boca, beijou com se fosse um boca, me chupou com tesão, quase gozei, para me segurar me voltei para sua bucetinha, linda, pêlos bem cortados, raspadinha nas laterais, comecei a chupar, acho que não levou mais do que 60 segundos para que gozasse, tremeu muito, apertava seus seios com força e tremia as pernas, abri suas pernas, penetrei com força, meti com rapidez e força, gozei forte, enchi sua buceta de porra, ela ainda tremia, olhei em seu olhos e a beijei, ficamos conversando, ela nua deitada em cima de mim, eu alisava seu corpo, ela fazia planos para nós, dizia que queria se separar, pois a vida com seu marido era muito ruim, ele a tratava como um poço de porra, a comia todos os dias, mas não fazia sexo, apenas a penetrava e gozava, fazia tempo que não sentira um orgasmo que não fosse com seus dedos e alguns objetos que utilizava como companheiros. Deixei-a em casa, era tarde, tinha filhos. Durante uns três meses pelo menos uma vez na semana eu a visitava, todos os dias me mandava fotos de sua bucetinha, de seu rabo, de seu corpo. Seu marido um dia entrou em seu computador, descobriu os e.mails, me mandou um e.mail dizendo que esquecesse sua mulher, caso contrario ele iria me matar, não liguei, ela me mandou um e.mail dizendo que seu marido pediu transferência para outra região do país e que não mais nos veríamos, mas que nunca esqueceria de nossos momentos de paixão e eu nunca esqueci aquela moreninha.

15 comentários:

GueGue disse...

OOiii!!! não vai mais la no blog?? hein hein?? hahahaha

Ahh meu blog não esta na tua lista uai!! suahsua

Quero ver ele ali da próxima! To mandando... Gosta de ordens ou só de mandar??? hahaha


Beijos

Única e Exclusiva disse...

Nossa, voltou com tudo! Uauuuu

Lascividade deliciosa, e uma adrenalina incrivel.

Bjinhos ú&e ;*********

Sophie disse...

Olha só... está de volta!!!

=*

Felina disse...

delicioso, valeu a pena esperar
bjo

Cansada de ser boazinha disse...

Muito bom... baixinha de cabelos negros sou eu!! rsrsrs
Bom ler seus textos novamente!
Bjos!

Momentos...volupté! disse...

Queria ter tido mais tempo livre pra escrever minhas memórias...Hahahaha, mas com o tempo irão aparecendo...

Beijos...

Sophie disse...

Caramba super bem lembrado!!! Forest Gump é shooooow a trilha sonora. Cara, pra mim isso engrandece muito o filme!
O The Graduet (A Primeira Noite de um Homen) eu nã conheço Oo.
;)

Eu e a solidão disse...

Adorei a história, confesso que em alguns momentos me vi um pouco nela... Sei bem o que é ser esse "poço", mas deixa pra lá...

Enfim, boa escolha das palavras e a cadência que elas formaram proporcionando um tesão gostoso, daqueles que sobe e desce no corpo todo...


Bom domingo

Beijos!

Sophie disse...

Ahhh com certeza vou conferir. Eu tenho que conhecer mais clássicos!
;)

Madame Poison disse...

Esta história não me é estranha...acho que já a ouvi diversas vezes...rsrs

Fofa disse...

Oi Fofo...

Tenho algumas lembranças de MIRC tbm... rs

Adorei a sua...

Quanto as minhas expectativas, to aprendendo a lidar com elas... Mas como é difícil...

Beijocas

Madame Poison disse...

Pois é, ainda bem que não faço parte desse time...rsrs

Aliás, você já conferiu a seleção musical que construi durante a sua ausencia???

Ah, tá faltando o seu comentário...rsrsrs

{Amar Yasmine}_DEXPEX disse...

Texto delicioso e instigante que me fez ficar líquida.
Escreva sempre.

Madame Poison disse...

Atendendo a pedidos (tá bom, não foram tantos assim...), em breve será lançado um bônus track. Inclusive, algumas de suas sugestões já estão inclusas, mas valeu. Agora, só falta um tempinho para preparar a postagem. Aguarde então...rsrs

Buenas noches muchacho!!!

Tempestade disse...

Fui lendo no ritmo das palavras da narrativa, da emoção...

Beijos Tempestuosos!